Viva – A Vida é Uma Festa | O maior desafio da animação

Viva – A Vida é Uma Festa chega aos cinemas dos Estados Unidos hoje, 22 de Novembro de 2017. A animação já tem sido aclamada pela crítica do México, onde o longa estreou em 27 de Outubro de 2017. O filme é riquíssimo em qualidade gráfica e detalhes, como já é de costume nas produções do Pixar Animation Studios.

No entanto, para chegar a esse nível de qualidade, os animadores sempre se deparam com alguns grandes desafios. Então, se em alguns longas-metragens o desafio era o da elasticidade, em Viva – A Vida é Uma Festa, o desafio foi justamente no cerne do corpo humano: os esqueletos.

Criar todas aquelas criaturas do mundo dos mortos, aparentemente sem expressão e com movimentos travados, a fim de transmitir emoção e encantar o público, foi um trabalho duro. De acordo com o diretor do filme, Lee Unkrich, pelo fato de tal figura não ser tão usada assim na animação, seus principais objetivos com esses personagens eram torná-los divertidos, sem serem assustadores.

Foi necessário ir a fundo na anatomia humana e também desconsiderar alguns fatores. Com a ideia de criar personagens divertidos, as expressões são a grande janela do sucesso, sendo assim, a equipe de animação focou nos olhos, mas sem deixar de lado a figura assustadora – como vemos em diversos lugares.

Como parte disso, foram inseridos olhos com uma estrutura de movimento capaz de também fazer o trabalho da sobrancelhas. Essas estruturas ósseas não são novidades no estúdios da Disney, muito pelo contrário.

A figura é pioneira no que diz respeito à animação, graças a Ub Iwerks e The Skeleton Dance (1929), seu primeiro curta da série Silly Symphony. Como podemos notar, não são personagens com aparência amigável.

Já em Viva – A Vida é Uma Festa, o outro desafio foi: como dar personalidade para personagens sem expressão? Cada esqueleto do filme possui aproximadamente de cento e vinte a cento e trinta ossos. Isso abriu uma grande oportunidade para os animadores brincarem com os movimentos e as reações dos personagens, seja na forma como desmontam ou quando riem.

Dessa forma, podemos esperar personagens tão impactantes quanto as emoções de Divertida Mente (2015) e tão memoráveis quanto Carl de UP: Altas Aventuras (2009). Viva – A Vida é Uma Festa estreia em 04 de Janeiro de 2018 no Brasil. Estão preparados, Camundongos?

Trailer de Viva – A Vida é Uma Festa

Apesar de a música ter sido banida há gerações em sua família, Miguel (voz do novato Anthony Gonzalez) sonha em se tornar um grande músico como seu ídolo, Ernesto de la Cruz (voz original de Benjamin Bratt). Desesperado para provar o seu talento, Miguel se vê na deslumbrante e pitoresca Terra dos Mortos seguindo uma misteriosa sequência de eventos. Ao longo do caminho ele conhece o trapaceiro encantador Hector (voz original de Gael García Bernal), e juntos eles partem em uma jornada extraordinária para descobrir a verdade por trás da história da família de Miguel.

Written by Catarina

Colecionadora de tsum tsums, seu filme favorito da Disney varia de acordo com o humor. Apaixonada pelas trilhas sonoras da Disney e o mascote do site é o seu maior xodó gráfico.

One Comment

Leave a Reply

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Loading…