Viva – A Vida é uma Festa | Crítica de Fã para Fã

Não precisa perdoar, só não pode esquecer.”

Miguel Rivera

SEM SPOILERS! O décimo nono longa-metragem do Pixar Animation Studios, Viva – A Vida é uma Festa é um filme que fará você pensar. Se você for daquelas pessoas que gosta de ir mais a fundo nas lições passadas no filme, você, com certeza, passará o dia pensando em tudo o que aconteceu na trama.

Miguel é um garoto de doze anos e é um músico aspirante, porém, seu talento é reprimido pela sua família. após sua tataravó ter sido abandonada pelo homem que escolheu as melodias em vez de sua parentela.

Indignado com isso, o jovem garoto, inspirado por seu ídolo Ernesto de la Cruz – um cantor que fez grande sucesso –, sai à procura de seus sonhos, porém, mal ele sabe que acaba entrando no mundo dos mortos, encontrando com milhares de esqueletos.

Em meio à sua jornada, ele encontra com Hector. Eles irão ajudar um ao outro a conquistar aquilo que desejam. Durante essa aventura, várias músicas são apresentadas e, conforme descobre mais sobre seus antepassados, Miguel aprende a dar mais valor para a sua família.

Afinal, o filme trata disso, da importância da família, dos presentes e ausentes que moldam nossa história. Durante vários momentos, você vai escutar os personagens falando “Família vem em primeiro lugar” e, ao longo do filme, será possível compreender o verdadeiro significado da frase.

Um dos pontos altos do primeiro musical do estúdio é a abordagem da cultura mexicana. Nada é caricato ou estereotipado demais. Eles mostram as coisas como realmente são, o que deixa o filme ainda melhor.

Por se tratar de um musical, não poderia deixar de falar das músicas e, por consequência, da dublagem. Ambos harmonizam de forma homogênea. A tradução da letra da música “Lembre de Mim” resume tudo o que você sentirá ao assistir ao filme.

Além disso, você poderá aprender muito sobre a morte com essa cultura tão rica e colorida. Eles mostraram um olhar que poucos de nós têm sobre essa passagem. Não posso entrar muito em detalhes, senão entrego a magia de bandeja.

Não tenho receio algum em dizer que Viva – A Vida é uma Festa conseguiu superar Toy Story 3 (2010), o trabalho anterior de Lee Unkrich como diretor. Sua história será um grande marco na história da Pixar, sem sombra de dúvidas.

Levem toda sua família, porque não irão se arrepender. Agora, queremos saber a sua opinião, Camundongo! O que achou? Chorou muito ou apenas eu passei vergonha na sala de cinema?

Written by Catarina

Colecionadora de tsum tsums, seu filme favorito da Disney varia de acordo com o humor. Apaixonada pelas trilhas sonoras da Disney e o mascote do site é o seu maior xodó gráfico.

9 Comments

Leave a Reply

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Loading…