Camundongo Entrevista | Bate-papo com Pedro Navarro

Mais um bate-papo super legal aqui no O Camundongo! Vamos conversar com o ator Pedro Navarro que está brilhando no teatro como Smee, o fiel escudeiro do Capitão Gancho, no musical Peter Pan, em cartaz em São Paulo.

Pedro, de vinte e quatro anos, é ator e cantor e já está em seu segundo grande musical. Em 2016, ele participou de Godspell e voltou ao teatro musical no recente sucesso Peter Pan – O Musical.  Agora, vamos rumo à Terra do Nunca…

Imagem: Luís França

Qual a sua relação com a história de Peter Pan? Gostava quando era criança?

O fantástico da Terra do Nunca sempre me despertou interesse. Eu cresci numa imersão de filmes da Disney, então, por causa dos desenhos, acabei tendo um contato muito grande com contos de fadas, produções dentro do gênero da fantasia. Eu gostava e assistia a basicamente tudo e todas as histórias possíveis, e Peter Pan (1953) sempre fez parte desse grupo, afinal é um dos maiores clássicos, tanto da literatura quanto da Disney – já que é um dos carros-chefe do estúdio.

A história de Peter Pan já foi recontada diversas vezes em filmes, musicais, desenhos. Qual a sua versão preferida?

Que difícil! Acredito que a versão da Disney, o musical, e o filme de 2003 sejam os meus preferidos. Acho que apesar de abordar a história de pontos de vista diferentes, com muitas mudanças – algumas até bem grandes na adaptação, todas conseguem fazer com que a essência do livro original brilhe, junto, claro, com a visão artística específica que vem com cada adaptação.

Imagem: Luís França

Justamente pela história ter sido adaptada diversas vezes, foi difícil para você compor o personagem do Smee? Você escolheu se inspirar em alguém ou imaginou o personagem de uma forma nunca feita antes?

Foi muito divertido, na verdade. Eu sou bem novo dentro do perfil do personagem, que normalmente é representado por uma pessoa mais madura, então, em vez de ir contra isso e construir o personagem no mesmo caminho já conhecido pela maioria, eu resolvi usar a juventude ao meu favor.  Então, o meu Smee tem muita, mas muita energia e disposição, que se somam à própria descrição que o livro dá, colocando o Smee como uma figura mais carismática, fofa e alegre. Dessa forma, pensei em juntar tudo isso e ir experimentando possibilidades durante todo o período de ensaios, fui compondo o que funcionava, o que eu gostava, o que era engraçado, até chegar ao resultado especial que temos hoje.

Seu personagem é de grande importância, pois equilibra a maldade do Gancho com um pouco de humor. Como está sendo trabalhar assim em dupla, ainda mais com Daniel Boaventura, um grande nome do teatro musical?

Tem sido um presente. O Daniel é um gênio do humor, então, eu observo muito a relação dele com a plateia, o processo de descobrir o timing de certa piada. Acima de tudo, tem sido um grande aprendizado e também um belo jogo de generosidade, porque nada acontece sozinho e trocamos muitas ideias. Na construção das cenas, durante os ensaios, ou hoje, com tudo já pronto, quando saímos do palco sempre conversamos coisas do tipo: “isso funcionou!” ou “e se fizermos essa fala assim?”. Acima de tudo, a parceria Gancho/Smee precisa ter cumplicidade, então, é um trabalho sempre em conjunto, tem que estar presente em cena 100% do tempo, jogando um com o outro. Todo o dia precisa parecer que é a primeira e última vez que acontece aquilo, já que a plateia é sempre diferente.

Imagem: Luís França

O que os fãs do filme da Disney podem esperar de semelhança no musical e o que há de novo?

Com certeza a magia da história está mais do que presente no musical. A aventura, o humor, a Terra do Nunca surrealista, todas essas características do desenho fazem parte do espetáculo. As músicas são diferentes, e igualmente lindas e do tipo ‘chicletes’, a plateia sai cantando sempre. Algumas resoluções e relações entre os personagens são desenvolvidas por outros meios, o que acho que deixa igualmente interessante e divertida essa obra, mas ai deixo o convite para vocês assistirem e poderem conhecer.

Existe alguma outra história da Disney que você gostaria de encenar? Qual personagem?

Nossa, tantos… A Espada Era a Lei (1963), pra mim, é uma obra prima e eu adoraria participar de um espetáculo sobre esse conto. O musical da Broadway Aladdin, da Disney, é um primor e maravilhoso, seria um sonho poder fazer parte. O papel do Gênio é um marco na carreira de qualquer ator/cantor de teatro musical.

Existe a possibilidade do musical ser encenado em outra cidade?

No segundo semestre teremos uma temporada no Rio de Janeiro, que já está confirmada. Seria uma oportunidade incrível viajar com esse show pelo Brasil inteiro!


Você pode ver Pedro Navarro em cena de Peter Pan – O Musical no Teatro Alfa, em São Paulo. As sessões ocorrem de quinta a sexta feira às 20h30, no sábado às 16h e 20h, e no domingo às 17h. Adquira seus ingressos na bilheteria do local ou no Ingresso Rápido.

Imagem: Luís França

Written by Paulo

Mouseketeer desde que me entendo por gente! Finalmente realizei meu maior sonho de Camundongo e visitei todos os parques da Disney no mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…