Com muito humor, Zootopia leva o público da CCXP às gargalhadas

2

zootopia-inicio-bogo-camundongo

Byron Howard (Enrolados) e Rich Moore (Detona Ralph), diretores de Zootopia, não puderam comparecer à Comic Con Experience devido aos compromissos relacionados com a produção do longa-metragem. No entanto, através de uma mensagem em vídeo, a dupla deu as boas-vindas ao público e apresentaram o já conhecido primeiro trailer, no qual é explicado detalhes dessa metrópole animal.

Em seguida, Howard e Moore retornaram para tecer alguns comentários. Os diretores comentaram sobre as pesquisas feitas no Animal Kingdom, em Orlando, e durante um safári pela África, em busca de respostas para muitas de suas dúvidas, a exemplo de como fazer animais quadrúpedes andarem sobre duas patas e mostraram um vídeo de teste realizado com um camelo caminhando como um humano.

zootopia-ccxp-001

Outra pergunta deles é se seria possível um elefante vender sorvetes. A resposta também veio através de um vídeo, dessa vez uma cena da animação, na qual um paquiderme prepara a sobremesa gelada usando a sua tromba, com direito a muitos amendoins e uma cereja de decoração. E por fim, a mais importante delas: como fazer um tigre dançar. O resultado foi um teste muito divertido com o animal requebrando os quadris.

Antes de se despedirem, Howard e Moore convidaram os dubladores Rodrigo Lombardi (Nick Wilde) e Monica Iozzi (Judy Hopps) para subirem ao palco e assumirem o painel. Iozzi, porém, por problemas pessoais, não pôde participar. Lombardi soube contornar ausência de sua colega usando seu grande carisma e já começou falando sobre como conseguiu criar o tom certo para seu personagem, uma raposa.

zootopia-ccxp-002

Lombardi disse ter se inspirado no trabalho original, feito por Jason Bateman (Arrested Development), enquanto usava as suas próprias características para chegar a uma voz mais aguda do que a sua natural, por se tratar de um animal de pequeno porte. Esse é seu quarto trabalho como dublador e a terceira colaboração com a Disney. “Já não é mais um convite, é quase uma parceria com a Disney,” brinca.

Como bom perfeccionista, Lombardi demorou dois dias até encontrar a entonação certa para Nick e o primeiro dia de trabalho foi completamente perdido. Segundo o ator, a dublagem da animação, cuja estreia acontece em 18 de Fevereiro de 2016, no Brasil, está praticamente concluída, e restam apenas alguns retoques a serem feitos e trabalhar em algumas cenas, as quais o Walt Disney Animation Studios tem mantido em segredo, como medida de segurança.

zootopia-ccxp-003

Para a surpresa da platéia, o ator anunciou a presença de outro dublador da animação na Comic Con Experience. Após uma rápida cena de um fictício telejornal, o âncora Ricardo Boechat entrou para falar sobre seu personagem, uma onça-pintada batizada de Boi Chá, em sua homenagem, a qual apresenta o jornal local de Zootopia e acompanha o caso de desaparecimento comandado pela policial Judy Hopps.

A principal razão de terem me convidado para esse papel foi a minha condição de pais de seis filhos. Ou seja, sou um reprodutor em extinção. E as razões para eu aceitar estão na primeira fileira, minhas filhas Valentina e Catarina, de nove e sete anos, respectivamente. Convivo com as animações da Disney desde menino. Estou muito orgulhoso e empolgado por poder participar de uma delas, e espero não ser a última vez,” diz Boechat.

zootopia-ccxp-004

Boi Chá é uma homenagem da equipe criativa do filme ao Brasil e um alerta ao risco de extinção da onça-pintada. De modo similar como ocorreu com Carla Veloso, dublada por Claudia Leitte, em Carros 2 (2011), e Carolina, dublada por Ivete Sangalo, em Aviões (2013), o âncora será um personagem exclusivo do país e não poderá ser visto nas versões de outros países. “Fiquei preocupado com a minha interpretação e trabalhei bastante a minha voz. Cheguei lá e minha cena tinha quinze segundos. Foram os quinze segundos mais intensos da minha vida,” revela.

Se as filhas de Boechat foram o motivo para aceitar o convite, o mesmo ocorre com Lombardi. “Hoje, as animações são também para os pais. Eu uso o meu filho como desculpa para ir ao cinema e assistir às animações. Estou fazendo isso por ele. É para você, meu filho,” explica. “Se eu pudesse, faria só isso na minha vida, porque quando você é criança, assiste e sonha. Quando você dubla, está dentro do sonho.

zootopia-ccxp-005

O título diz ser uma utopia, porém a realidade do filme é muito parecida com a nossa,” comenta Boechat. Mesmo os habitantes de Zootopia enfrentam problema de burocracia, algo retratado com muito humor no trailer completo divulgado recentemente, o qual levou as pessoas presentes no painel às gargalhadas incessantes, principalmente quando Flecha solta a sua vagarosa risada. “Um problema inexistente na minha cidade dos sonhos seria a presença dos políticos. Eu não os levaria para lá,” declara o jornalista.

Rodrigo Lombardi é um aficionado confesso por cultura pop e esteve presente na primeira edição da Comic Con Experience, no ano passado. “Eu estava aqui no ano passado, como público, e assisti ao painel com o Jason Momoa. E hoje, sou eu no palco. Como as coisas mudam. Mas eu ainda sonho em ser um Vingador,” brinca. Ao ser perguntado qual poder gostaria de ter, Lombardi disse querer combinar o dinheiro do Tony Stark com a força e o tamanho do Hulk.

zootopia-ccxp-006

Quando o questionaram sobre a possibilidade de dublar Robert Downey Jr., o qual Lombardi afirma ser insubstituível como Homem de Ferro, ele disse que dedicaria 110% de seu tempo para não decepcionar ninguém. “Toda dublagem é um desafio. Cada personagem é diferente do outro. O Naveen era mais malandro e charmoso. O Lorde Dingwall era sisudo e muito sério. E o Nick é mais descontraído, brincalhão e quer sempre sacanear alguém. É um trabalho de vários anos. Eu apenas dou uma roupagem brasileira,” finaliza.

Na sequência, Lombardi e Boechat se dirigiram ao estande de Zootopia, onde tiraram fotos e distribuíram autógrafos. Lá, também era possível participar de duas atividades. Em uma, maquiadores faziam desenhos de animais nos rostos dos visitantes; e na outra, havia uma roleta com os personagens Nick Wilde, Judy Hopps, Yak e Flecha. Cada um dos animais correspondia a um pacote diferente de zoopop, a pipoca preferida dos habitantes dessa cidade mamífera.

Trailer com os dubladores de Zootopia:

A moderna metrópole de mamíferos chamada Zootopia é uma cidade diferente de todas as outras. Composta de bairros-habitat como a elegante Sahara Square e a gelada Tundratown, é uma grande mistura onde animais de todos os ambientes vivem juntos — um lugar onde não importa o que você é, do maior elefante ao menor musaranho, você pode ser qualquer coisa. Mas quando a otimista policial Judy Hopps chega, ela descobre que ser a primeira coelha numa força policial de animais grandes e fortes não é nada fácil. Determinada a provar seu valor, ela agarra a oportunidade de solucionar um caso, mesmo que isso signifique formar uma parceria com o raposo falante e vigarista Nick Wilde, para desvendar o mistério.

zootopia-final-judy-camundongo

Compartilhe.

Sobre o Autor(a)

O atual diretor de redação e editor-chefe de O Camundongo é um grande aficionado por cinema, séries, livros e, óbvio, pelo Universo Disney. Estão entre os seus clássicos favoritos: "O Rei Leão", " A Bela e a Fera", " Planeta do Tesouro" e "A Família do Futuro".



  • Pedro

    Francamente, Zootopia está parecendo muito ‘Dreamworks’ pro meu gosto. Isso de fazer caricaturas ‘animalescas’ dos dubladores lembra a fórmula de O Espanta Tubarões. Também chamaram a Shakira para dublar uma gazela. Porque a Shakira, fazendo uma caricatura dela mesma? Sei que a Disney já modelou personagens em seus dubladores em outras ocasiões, o Ratagão tinha os maneirismos de Vincent Price, e Cobra Bubbles, de Lilo e Stitch, era uma caricatura de Ving Rhames, o Marcelus de Pulp Fiction. Mas esse recurso parecia ser usado mais moderadamente.
    Pode ser que Zootopia tenha piadas infames o suficiente para agradar os fãs do ogro, mas até agora não acredito muito nesse filme.

    • Diego B

      Traduziu todos os meus pensamentos sobre esse filme!
      Mas, no final, sempre desejo estar errado sobre a (falta de) qualidade por ser Disney. #Oremos