O complexo funcionamento interno do curta Inner Workings

2

inner-workings-inicio-paul-camundongo

Os curtas do Walt Disney Animation Studios sempre romperam limites, desde a inclusão de cores e sincronização de sons à combinação de animação tradicional e computação gráfica, sem nunca deixar de lado a história, muitas vezes contada sem quaisquer diálogos. E Inner Workings é o próximo a entrar para essa lista de ótimas animações de poucos minutos.

Com direção do brasileiro Leo Matsuda, a trama acompanha Paul, um homem certinho a caminho de seu trabalho tedioso, enquanto passa por opções, com as quais poderia ser feliz. Porém, no duelo entre Cérebro e Coração, o primeiro órgão sempre vence. Durante o trajeto, veremos o seu funcionamento interno – dai o título – e como seus órgãos têm personalidade e trabalham.

inner-workings-novidades-001

Em entrevista ao Oh My Disney, Matsuda revelou alguns novos detalhes do projeto. Além da sabida inspiração nas enciclopédias antigas, o diretor se baseou no estilo cinematográfico de Wes Anderson, na comédia do francês Jacques Tati, nos animadores Eyvind Earle e Mary Blair, no episódio Mars and Beyond, da série Disneyland (1954-1958), e também nos Muppets.

Segundo Matsuda, a ideia era criar uma espécie de The Muppet Show (1976-1981) dentro do corpo de Paul, com seus órgãos possuindo uma estética semelhante aos famosos fantoches da turma de Kermit, o Sapo. No entanto, o conceito foi abandonado porque os órgãos precisavam ter uma aparência mais lisa, e ao mesmo tempo, parecerem adoráveis.

inner-workings-novidades-002

Para trazer esse projeto à vida, a Casa do Camundongo recorreu a novatos e veteranos. Ami Thompson, uma trainee recém-ingressada no estúdio, ficou responsável por supervisionar o visual dos personagens e animar as “visões do cérebro”, nas quais o Cérebro imagina quais as consequências caso Paul cedessem aos desejos de seu coração, e são feitas em animação tradicional.

No entanto, Thompson contou com a ajuda de Mark Henn, o responsável por animar personagens marcantes como Bela, Jasmine, Simba, Pocahontas e Mulan, nessa empreitada de trazer um estilo de livro infantil para o curta. “Um dos meus grandes sonhos era poder trabalhar com [Mark] e nunca imaginei que iria acontecer tão cedo,” conta Thompson sobre a experiência.

inner-workings-novidades-003

O designer de produção Paul Felix se apaixonou imediatamente pela ideia de Matsuda, assim como o produtor Sean Lurie e o chefe criativo John Lasseter. E baseado nas silhuetas e cores presentes nos primeiros esboços feitos pelo diretor, Felix começou a moldar a concepção artística do curta, cujo principal elemento é a simplicidade do desenho de Matsuda.

Meu grande desafio foi pegar os meus bonecos palitos e transformá-los em realidade. Isso foi tão difícil,” comenta Matsuda, o qual continua boquiaberto com o resultado final do curta-metragem. Ludwig Göransson ficou responsável por compor a trilha sonora. Inner Workings será exibido a partir de 05 de Janeiro de 2017 nos cinemas nacionais.

inner-workings-final-paul-camundongo

Compartilhe.

Sobre o Autor(a)

O atual diretor de redação e editor-chefe de O Camundongo é um grande aficionado por cinema, séries, livros e, óbvio, pelo Universo Disney. Estão entre os seus clássicos favoritos: "O Rei Leão", " A Bela e a Fera", " Planeta do Tesouro" e "A Família do Futuro".



  • Lancelord .

    Esse curta vai ser exibido junto com Moana né?