História da Pixar | O Presente e o Futuro do Pixar Animation Studios

0

historia-da-pixar-futuro-inicio-camundongo

Chegou o momento de continuarmos a nossa viagem pela História da Pixar. Na segunda parte deste Especial, comentamos sobre a aquisição do Pixar Animation Studios, em 2006, pela The Walt Disney Company, um fato com a capacidade de mudar a trajetória do estúdio completamente, afinal a Casa do Mickey poderia fundi-lo com o Walt Disney Animation Studios, acabando com toda a sua independência, ou até mesmo influenciar na criatividade dos futuros lançamentos.

Felizmente, os receios não se concretizaram, pois o acordo feito entre as empresas estabelecia a separação dos estúdios e todas as políticas internas da Pixar, incluindo a falta de contratos de funcionários, foram mantidas embora um conselho tivesse sido formado para supervisionar todas as animações. Na época, o conselho era composto por Bob Iger, John Lasseter, Ed Catmull, Steve Jobs, Dick Cook e Tom Staggs. A partir desse momento, as animações do estúdio seriam lançadas sob o selo Disney•Pixar.

historia-da-pixar-futuro-001

A primeira produção a ser lançada dessa forma foi Ratatouille, cuja estreia aconteceu em 29 de Junho de 2007. Com roteiro e direção assinados por Brad Bird (Os Incríveis), o longa-metragem recebeu aclamação da crítica especializada, a qual o considerou uma animação incrível com ritmo rápido, personagens memoráveis e um humor de qualidade, e cinco indicações ao Oscar®, das quais venceu Melhor Longa-metragem de Animação. Nas bilheterias, o filme arrecadou mais de US$624 milhões mundialmente.

No ano seguinte, em 27 de Junho de 2008, foi a vez do público visitar o espaço e ser surpreendido com Wall-E, dirigido por Andrew Stanton (Procurando Nemo). A ideia para a história do carismático robozinho surgiu durante um almoço em 1994, com os seus colegas John Lasseter, Pete Docter e Joe Ranft, no qual os quatro discutiram ideias para os seus próximos projetos – Vida de Inseto (1998), Monstros S.A. (2001) e Procurando Nemo (2003). Porém, a história do robô se provou mais difícil do que o esperado.

Trailer em inglês de Ratatouille:

Depois da conclusão de Nemo, Stanton passou a se dedicar ao projeto integralmente. E toda a esperança foi compensada, pois Wall-E se tornou um enorme sucesso entre os críticos e os espectadores. O visual da animação foi considerado espetacular e demonstrava toda a engenhosidade do estúdio. Wall-E, por sua vez, cativou o público infantil, enquanto os adultos tinham temas importantes e críticas sociais, como o consumismo desenfreado e a poluição do meio ambiente, para refletir.

Tanta popularidade, aliada a uma ampla campanha da Disney, fazia parecer provável uma indicação ao Oscar® de Melhor Longa-metragem. Entretanto, isso não ocorreu, gerando uma controvérsia acerca de um possível boicote. A obra disputou nas categorias de Longa-metragem de Animação, Roteiro Original, Trilha Sonora, Canção Original, Edição de Som e Mixagem de Som – vencendo apenas na primeira. Enquanto isso, Jim Morris, produtor do filme, assumiu o cargo de Diretor Geral, ficando responsável por supervisionar o dia a dia do estúdio.

historia-da-pixar-futuro-002

E a tão sonhada indicação ao prêmio principal do Oscar® viria apenas com UP: Altas Aventuras (2009), de Pete Docter. Considerada uma aventura emocionante, divertida e com um roteiro impecável, a animação se tornou a segunda a realizar tal façanha – a primeira foi A Bela e a Fera (1991) – e a primeira em computação gráfica a ser indicada na categoria, porém perdeu para o drama Guerra ao Terror (2008). O longa, por fim, venceu dois prêmios: Melhor Longa-metragem de Animação e Melhor Trilha Sonora.

Assim como tudo na vida, era necessário explorar novas áreas e expandir. Em 20 de Abril de 2010, foi inaugurada a Pixar Canadá, uma subsidiária localizada na cidade de Vancouver, devido aos incentivos fiscais e à compatibilidade com o fuso horário do estúdio nos Estados Unidos. O plano inicial de três anos da sucursal era produzir curtas-metragens de personagens estabelecidos no universo do Pixar Animation Studios, com o intuito de serem exibidos na televisão, home vídeo, parques, cinema e internet.

Trailer em inglês de UP: Altas Aventuras:

Woody e Buzz retornaram às telonas, em 18 de Junho de 2010, com Toy Story 3. Além de ter sido considerada uma sequência primorosa por misturar comédia, aventura e drama de forma hábil e receber aclamação universal, a animação dirigida por Lee Unkrich se tornou a primeira da história a ultrapassar a marca de US$1 bilhão na arrecadação mundial e, até o lançamento de Frozen: Uma Aventura Congelante (2013), deteve o posto de animação de maior bilheteria de todos os tempos, desconsiderando os reajustes.

Pelo segundo ano consecutivo, o estúdio conseguiu uma indicação do Oscar® de Melhor Longa-metragem. Com uma massiva divulgação feita pela Casa do Mickey do Mouse, comparando o filme a outros vencedores do prêmio, e o grande apelo do público, o longa era um dos fortes candidatos na disputa, mas acabou sendo derrotado por O Discurso do Rei (2010) e recebeu os prêmios de Melhor Longa-metragem de Animação e Melhor Canção Original, pela música “We Belong Together,” composta por Randy Newman.

historia-da-pixar-futuro-003

Celebrando seu vigésimo quinto aniversário de fundação, o Pixar Animation Studios completou a construção de um prédio dentro do seu campus em Emeryville e lançou uma continuação da história de Relâmpago McQueen, Carros 2 (2011). Ao contrário da obra original, a qual recebeu críticas levemente positivas, a sequência não foi bem recebida pelo público e pela crítica, pois apesar de ser visualmente incrível, o roteiro fraco não conseguiu esconder a ferrugem debaixo do capô.

Rumores sobre uma queda da criatividade e originalidade do estúdio começaram a surgir. Pela primeira vez desde a criação da categoria, um título da Pixar não concorreu ao prêmio de Melhor Longa-metragem de Animação. Outro ponto considerável foi o fato das sessões do filme terem sido antecedidas pelo curta-metragem Férias no Havaí (2011), estrelado pela turma de brinquedos liderada por Woody. Tudo isso parecia indicar o fim de uma era para a Casa do Luxo Jr.

Trailer de Carros 2:

Em 22 de Junho de 2012, Valente chegou aos cinemas, após passar por diversos problemas durante a produção, incluindo a substituição da diretora original, Brenda Chapman, por Mark Andrews. A crítica teceu alguns elogios e o considerou um conto de fadas emocionante e divertido, com toques de aventura e fantasia. O décimo terceiro filme do estúdio conseguiu faturar US$554 milhões nas bilheterias, cinco milhões a menos do que Carros 2, e recebeu o Oscar® de Melhor Longa-metragem de Animação.

O ano seguinte foi marcado por alguns grandes acontecimentos. Em 21 de Junho de 2013, o aguardado prelúdio de Monstros S.A. (2001) estreou. Universidade Monstros agradou ao público e aos críticos, além de surpreender ao conquistar mais de US$700 milhões nas bilheterias. Apesar de ter sido melhor avaliado do que o filme anterior do estúdio e por se tratar de uma obra não original, baseada em algum material já existente, a animação ficou de fora da corrida pela estatueta dourada.

historia-da-pixar-futuro-004

Infelizmente, em 08 de Outubro de 2013, a Pixar Canadá encerrou suas atividades, a fim de reorientar operações e recursos em uma único local. Cem pessoas foram demitidas. A filmografia da filial inclui os curtas das séries Carros Toons – Air Mater, Mate, o Viajante do Tempo, Um Dia de Soluços, Um Visitante Indesejado e O Novo Talento de Guido – e Toy Story Toons – Um Pequeno Grande Erro e Festa-Sauro Rex –, apresentados principalmente na televisão.

Sem se abater, o estúdio principal continuou a transitar por mares ainda não navegados. Toy Story de Terror foi o primeiro especial televisivo a ser produzido pela Pixar e foi transmitido, em Outubro de 2013, pela ABC nos Estados Unidos e pelo Disney Channel no Brasil. Toy Story: Esquecidos pelo Tempo, especial da franquia com temática natalina, estreou nas telinhas no final de 2014. Apesar de não carregarem a mesma carga emocional dos filmes, ambos os especiais tiveram uma recepção entusiasmada do público e da crítica.

Trailer de Toy Story: Esquecidos pelo Tempo:

Durante oito anos, de 2006 a 2013, o estúdio lançou um filme por ano. Para 2014, estava prevista a estreia de O Bom Dinossauro. Assim como Valente, o longa-metragem estava passando por dificuldades. Temendo a rejeição do público, o lançamento foi adiado, com o intuito da história ser reformulada. Bob Peterson foi substituído por Peter Sohn na cadeira de diretor. Porém, antes da história sobre dinossauros entrar em cartaz, o público seria levado para dentro da mente humana, com Divertida Mente, em 19 de Junho de 2015.

O novo projeto de Pete Docter foi uma agradável surpresa, pois, além de ser tão criativo quanto os primeiros filmes do estúdio, recebeu a melhor avaliação entre os críticos desde o lançamento de Toy Story 3, cinco anos antes. A animação tem como protagonistas uma garota de onze anos, chamada Riley, a qual tenta se adaptar em uma nova cidade, e as suas emoções – Alegria, Tristeza, Nojinho, Medo e Raiva –, pois parte da trama é ambientada no cérebro de Riley.

historia-da-pixar-futuro-005

Nas bilheterias e nas premiações, a história sobre as emoções de Riley também fez bonito e conquistou US$856 milhões – até o momento, é a quarta maior arrecadação do estúdio – além de diversas vitórias, incluindo Oscar®, Globo de Ouro, BAFTA, Critics’ Choice Award e Annie Award de Melhor Longa-metragem de Animação. Tudo indicava para um retorno triunfal, pois, pela primeira vez em um mesmo ano, a Casa do Luxo Jr. iria lançar dois filmes, uma antiga promessa que nunca havia se concretizado.

Todavia, apesar do atraso no lançamento, O Bom Dinossauro não alcançou as expectativas e se tornou o primeiro fracasso comercial da empresa. Para a crítica, a animação não chega ao nível dos padrões definidos pelo estúdio nos anos anteriores, mas impressiona pelos cenários realistas. Com um custo de produção e divulgação estimado em US$350 milhões, a aventura sobre como seria a Terra se os dinossauros não fossem extintos trouxe apenas US$332 milhões, trinta milhões a menos do que Vida de Inseto (1998).

Trailer de O Bom Dinossauro:

Em 17 de Junho de 2016, veio Procurando Dory. A sequência foi anunciada por Ellen DeGeneres, a voz original da peixinha, em 02 de Abril de 2013, e desde então vinha sendo aguardada com grandes expectativas por parte do público, o que se refletiu no sucesso financeiro. No primeiro final de semana, o longa conquistou o título de animação de maior bilheteria na estreia, com US$135 milhões. Ao sair de cartaz, o filme já havia abocanhado mais de US$1 bilhão mundialmente.

A animação também angariou muitas críticas favoráveis, as quais acharam o novo capítulo da história de Dory emocionante, divertido e provocador, por realizar criticas sociais de forma implícita, como as questões de preservação dos animais marinhos, além de possuir uma animação belíssima. Apesar dos elogios, Procurando Dory não conseguiu conquistar uma vaga na corrida pelo Oscar®, juntando-se a Carros 2Universidade Monstros e O Bom Dinossauro.

historia-da-pixar-futuro-006

Já não é novidade como o Pixar Animation Studios é muito discreto e restrito quando se trata a respeito dos seus futuros projetos. No entanto, quatro deles, sendo três sequências, já estão oficialmente anunciados e irão chegar aos cinemas do mundo todo nos próximos três anos. Cumprindo, de certa forma, com o anúncio feito em meados de 2013, no qual o estúdio confirmou o lançamento de um filme e meio a cada ano, sendo uma sequência cada dois anos.

O primeiro deles é Carros 3. A próxima corrida de Relâmpago McQueen dá a largada em 16 de Junho de 2017 nos Estados Unidos, e em 13 de Julho de 2017 no Brasil. Após dirigir os dois primeiros, John Lasseter será substituído pelo novato Brian Fee, responsável pelos storyboards de vários filmes, incluindo Carros 2. Na trama, McQueen terá de enfrentar o seu maior desafio: a possibilidade de se aposentar. Com a chegada de uma nova geração de corredores, o competidor precisa de ajuda para voltar a ganhar.

Trailer de Carros 3:

Anunciada em 24 de Abril de 2012, outra animação em desenvolvimento é Viva – A Vida é uma Festa (Coco, na versão em inglês), inspirada no dia de finados mexicano. Com direção de Lee Unkrich, o filme acompanha Miguel (voz original de Anthony Gonzalez), um garoto com um sonho de se tornar um grande músico, igual ao seu ídolo Ernesto de la Cruz (voz original de Benjamin Bratt). Desesperado para provar seu talento, Miguel inicia uma misteriosa cadeia de eventos, a qual o leva para a impressionante e colorida Terra dos Mortos.

Viva – A Vida é uma Festa tem previsão para chegar aos cinemas dos Estados Unidos em 22 de Novembro de 2017 e seis semanas depois ao Brasil, em 04 de Janeiro de 2018. E após doze anos de espera, Os Incríveis 2 deve estrear em 28 de Julho de 2018 no Brasil, mais uma vez sob o comando de Brad Bird, embora não existam mais detalhes. Outra sequência confirmada é Toy Story 4, com o lançamento nacional marcado para 20 de Julho de 2019 e terá novamente direção de John Lasseter.

historia-da-pixar-futuro-007

Desta vez, o roteiro, escrito pela dupla Rashida Jones e Will McCormack (Celeste e Jesse Para Sempre), será focado no romance entre Woody e Betty, cujo paradeiro é desconhecido após seu misterioso sumiço em Toy Story 3. Também não há maiores informações. O estúdio possui ainda outras duas datas reservadas – 12 de Março de 2020 e 19 de Junho de 2020 – no calendário de lançamentos, para filmes sem títulos, os quais especula-se serem novas tramas originais.

Em três décadas de atividades, o Pixar Animation Studios realizou feitos impressionantes. Com dezessete longas e mais de vinte curtas lançados, o estúdio gerou mais de US$10 bilhões em bilheterias e foi aclamado diversas vezes pelo seu pioneirismo e pela forma inovadora de contar histórias. Ao todo, foram mais de oitocentas indicações em diferentes premiações e, até o momento, vinte e oito Oscar®, sete Globos de Ouro e onze Grammy, além de outras quase quatrocentas vitórias – e a sua história está apenas começando…

historia-da-pixar-futuro-final-camundongo

Compartilhe.

Sobre o Autor(a)

O atual diretor de redação e editor-chefe de O Camundongo é um grande aficionado por cinema, séries, livros e, óbvio, pelo Universo Disney. Estão entre os seus clássicos favoritos: "O Rei Leão", " A Bela e a Fera", " Planeta do Tesouro" e "A Família do Futuro".